Seja bem-vindo ao Elizabeth Olsen Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Elizabeth Olsen, mais conhecida por sua atuação em Os Vingadores. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu abaixo e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!
últimos álbuns da galeria de fotos. confira!

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas
15.11.2019

Com exclusividade para a US Magazine, Elizabeth Olsen listou 25 coisas que você ainda não sabe sobre ela. Confira abaixo a matéria traduzida:

1. Sempre desejei ser uma dançarina moderna incrível – quero sempre mexer meu corpo.
2. Fico mais feliz quando estou viajando. Meu trabalho e minha vida estão tão paralisadas ​​em Los Angeles que me sinto mais relaxada quando estou em outro lugar.
3. No meu aniversário de 30 anos [16 de fevereiro], fiz uma viagem a Nova Iorque!
4. Adoro passear e me perder nas ruas de Nova Iorque.
5. Grandes multidões me dão ansiedade. Estar presente e contar respirações ajuda quando estou ansiosa.
6. Como viajo muito para o trabalho e ganho milhas em restaurantes com meu cartão Delta SkyMiles American Express, dou a outras pessoas meu Delta SkyMiles. É o meu presente favorito. Venha me ver – o voo está em mim!
7. Doo roupas e tchotchkes mais do que apenas sazonalmente.
8. Meu primeiro carro foi um da minha irmã quando ela se mudou para Nova York. Foi um Range Rover de 2005. Ela trabalhou para tê-lo e depois me beneficiei.
9. Meu programa de TV favorito no momento é Fleabag.
10. O único alimento que eu nunca comi é fressura. Fressura, tipo moelas. Não, obrigada!
11. Minha maior irritação é quando as pessoas se atrasam.
12. Meu pai sempre diz: “Tente superar sua última melhor pontuação.” Essa atitude competitiva é algo em que penso frequentemente.
13. Eu amo renovar casa e decorar.
14. Eu sou tão minimalista. Não coleciono nada.
15. Minhas paixões por celebridades foram George Clooney e Frank Sinatra.
16. Eu amo os vídeos da turnê da Architectural Digest. Meu favorito até agora é Dominic West. Ele e sua esposa moram em um antigo castelo.
17. Pedro Almodóvar veio até mim uma vez e disse: “Adorei seu filme.” Queria chorar porque havia escrito um artigo sobre ele no ensino médio.
18. Meu espanhol é horrível. Tive aulas particulares há alguns anos e é ruim.
19. Se eu estivesse na Rússia por uma semana, conseguiria fazer pedidos em restaurantes e pedir orientações. Por alguma razão, esse idioma foi fácil para mim [quando estudei no exterior].
20. Eu sempre acho as convenções da Comic-Con muito emocionantes.
21. Certa vez, meus fãs arrecadaram dinheiro para a Stuart House, uma instituição de caridade que apoio, e me deram um pedaço de papel que dizia o quanto eles coletaram.
22. Adoro economizar em tudo. Eu sou a pessoa que faz contas constantemente na cabeça.
23. Eu realmente amo seguir designers de interiores, reconstrutores de casas e pessoas que gostam de cerâmica [nas mídias sociais].
24. Excluirei meu Instagram um dia. Há coisas de que gosto muito, e é por isso que quero excluí-lo.
25. Não sou confundida com nenhuma celebridade na rua. Eu acho que as pessoas ficam confusas porque eu não sou a pessoa mais reconhecível.

Fonte: US Magazine.

Tradução & adaptação: Equipe Elizabeth Olsen Brasil.

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas
15.11.2019

A atriz de Vingadores nos conta sobre suas viagens favoritas, o que ela está cozinhando para os feriados, seus rituais de voo e seus lugares preferidos em Los Angeles.

Entre as filmagens de seu papel de Feiticeira Escarlate da Marvel (com retorno em 2021 para a WandaVision da Disney +), assim como de Sorry for Your Loss do Facebook Watch, que ela não apenas estrela, mas também realiza produção executiva – é seguro dizer que Elizabeth Olsen está acostumada a ter que viajar a trabalho (faz parte do trabalho), mas a atriz dos Vingadores também arranja tempo para viajar por prazer.

Olsen recentemente se associou à American Express e à Delta para comemorar o relançamento do portfólio de cartões Delta SkyMiles American Express. Com o relançamento, no dia 30 de janeiro de 2020, os associados do cartão poderão ganhar mais milhas em compras diárias, como milhas dobradas em restaurantes em todo o mundo e milhas triplas em hotéis. Eles também poderão acessar mais vantagens de viagens, como acesso ao The American Express Centurion Lounges ou a um crédito de pré-verificação da TSA.

Departures conversou com a estrela antes do lançamento para discutir onde ela gosta de gastar suas milhas, o que ela está cozinhando para as férias, seus rituais e rotinas de voo e seus lugares favoritos em Los Angeles.

Qual é o seu lugar favorito no mundo para viajar?

“Fui recentemente às Ilhas San Juan, perto de Seattle, que eram lindas. Minhas locações favoritas para as férias são a Itália, da Toscana e a Costa Amalfitana (meu hotel favorito em todo o mundo é Le Sirenuse em Positano – uma propriedade da American Express Fine Hotels & Resorts Eu amo o norte da Itália, as pessoas, a comida, o serviço. Amo, amo, amo todos os cheiros e todos os gostos. No Natal, eu costumo fazer massas para todos como Cacio e Pepe. É um prato italiano favorito meu que eu costumo ter em todos os lugares que vou. Também espero morar em Londres em algum momento. Não há nada que eu amo mais que Londres. Eu amo a energia da cidade, a cidade é incrível ao sol, sempre há grupos nas ruas pelos bares. Eu adoro como fica leve e também como fica frio e úmido – e o campo inglês!”

Você tem uma rotina de voo? O que não pode faltar quando você viaja?

“Ah, com certeza! Acabei de voar ontem à noite e fiquei com olhos vermelhos, sempre esfrego tudo ao meu redor, especialmente aos olhos; sempre tenho água e continuo reaplicando meu hidratante – uso o Creme Recherche Biologique (US $ 215; rescuespa.com)”.

Quando você volta para casa em Los Angeles, para aonde gosta de ir?

“Adoro as mesas do chef de n / naka e fazer caminhadas no Temescal Canyon.”

Por que você decidiu fazer parceria com America Express e Delta?

“Para alguém que viaja o tempo todo, acho que meus pontos realmente agregam e os uso para amigos e entes queridos que vêm nos visitar.”

Fonte: Departures.

Tradução & Adaptação: Equipe Elizabeth Olsen Brasil.

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas
01.11.2019

Elizabeth Olsen recentemente concedeu uma entrevista e ensaio fotográfico para a revista InStyle, realizada por Samantha Sutton e Emma Anderson, respectivamente. Na entrevista, a atriz falou sobre a diferença entre a 1.ª e 2.ª temporada de Sorry For Your Loss, ser produtora executiva da série, moda e como foi completar 30 anos e muito mais. Confira abaixo a entrevista traduzida e as fotos da sessão fotográfica:

Aos 30 anos, ela é produtora executiva e estrela uma série emocionalmente intensa, enquanto filma um novo projeto secreto — e ela acredita que não será fácil.

“Droga!” Elizabeth Olsen diz suspirando — de jeito ‘esta-é-a-única-coisa-que-preciso-hoje’ bem exasperado — do outro lado da nossa ligação. Ela tem apenas 27 minutos para fazer essa entrevista durante o intervalo, ela explica, e sua garrafa de água acaba de rolar sob um carro. Agora, ela está tentando pegá-la.

O tempo está passando — descendo para 26 minutos, depois para 25 — mas não estou preocupada. É um momento identificável. No set da sessão fotográfica da InStyle, ela me lembrou um pouco daquela garota do ensino médio — aquela popular, mas ainda assim amiga de fotos. Por um momento, você consegue esquecer que a atriz é relacionada às gêmeas mega-famosas, protagoniza filmes da Marvel (e WandaVision), ou é produtora executiva de sua série do Facebook Watch, Sorry For Your Loss, na qual ela também protagoniza.

Esse último crédito é o motivo pelo qual estamos conversando. Recentemente, passei horas chorando no meu telefone enquanto assistia quase duas temporadas de Olsen como Leigh, uma jovem que experiencia vários estágios de luto após a morte de seu marido. Não é exatamente uma série alegre, mas há alguns momentos engraçados e complicados (e altamente intrigantes) histórias de amor.

“Nós queríamos focar nos mínimos dos momentos na primeira temporada,” explica Olsen, me fazendo lembrar de como a Leigh sofreu para voltar ao trabalho ou comemorar seu aniversário. “Mas na segunda temporada, nós queríamos que a Leigh começasse em um lugar diferente. O que eu realmente queria trabalhar com Kit [Steinkellner, escritora e criadora da série], era esse sentimento de impulso e propulsão. Tentamos correr riscos maiores e cometer erros maiores.”

Como uma pessoa que está totalmente envolvida na série — que atualmente está na segunda temporada; um novo episódio é lançado toda terça-feira — eu posso dizer com confiança que há muitos momentos dignos de suspiro. Riscos e erros, especialmente no final da Leigh, são abundantes.

O que não foi um erro, no entanto, foi ter Olsen trabalhando atrás das câmeras na série, não apenas na frente. Durante nossa ligação, ela fala longamente sobre a experiência — o quanto gosta de fazer parte do processo criativo, do primeiro rascunho ao corte final; como ela finalmente está confiante o suficiente para dar opiniões sinceras; como ela se sente agregando valor. As pessoas provavelmente pensarão que é chato, ela me diz, mas é bom ouvir quão dedicada e apaixonada ela é.

“É cansativo e você não tem folga nos fins de semana”, acrescenta a atriz, revisando sua agenda, que dura 10 meses (em oposição aos quatro necessários para filmar). “Não é apenas memorizar frases ou fazer estudo do personagem. Você está tentando garantir que certas coisas sejam boas para três episódios a partir de agora, ou que os rascunhos e edições pareçam bons. É uma experiência muito mais movimentada do que apenas ser atror, mas é realmente gratificante.”

Ainda assim, Olsen ama seu trabalho, ela não é do tipo que passa horas em frente à TV.

“Eu assisto muitos esportes, porque é outono e sempre está passando esportes na TV,” diz Olsen, me chocando depois que pergunto o que ela gosta. Ainda assim, Olsen desfruta uma boa maratona. “Eu estive assistindo Família Soprano, mas tive que fazer uma pausa porque estava me dando pesadelos. E eu devorei Killing Eve e Fleabag. Amei Game of Thrones e estou triste por ter acabado.”

Ela então pergunta se eu já ouvi falar sobre Riverdale (sim, já ouvi falar) revelando que, de alguma forma, ela acabou de descobrir que a série existe.

“Eu nunca assisti, só sei que existe. E, aparentemente, é bem popular.”

Obviamente, qualquer conversa com Olsen deve incluir algo sobre moda. A atriz descreve seu estilo cotidiano como masculino e tamanho grande.

“Os vestidos fazem eu me sentir um pouco engraçada. Estou tentando ficar mais confiante com meu lado feminino,” ela me conta. “Eu prefiro que tudo seja fácil e confortável. Nada exigente. Eu não gosto de usar roupas apropriadas ao meu corpo.”

A roupa que ela está usando durante a nossa ligação — calça de algodão preta larga, um blusa preta com botões pretos e sapatilhas” — é o que ela considera seu look dos sonhos.

“Me sinto muito confortável, mas não pareço desleixada. Parece que tenho um ponto de vista e uma opinião.”

Com apenas alguns minutos restantes para nossa entrevista, pergunto a Olsen, que completou 30 anos este ano, o que ela aprendeu à medida que envelhecia.

“Eu acredito que estava sempre tentando me distrair de ficar quieta,” ela diz, refletindo sobre seus anos mais jovem. “Sinto que me importei com o auto-aperfeiçoamento no ensino médio e, na faculdade, eu estava tentando conseguir muitas coisas e não estando tão presente quanto eu acho que poderia estar.”

Nessa nota irônica, nosso tempo de entrevista acabou. Olsen tem que voltar correndo para filmar… algo. Infelizmente, ela não pode dizer o que é.

“Sinto muito por ter xingado tanto no começo da nossa entrevista,” ela deixa escapar minutos antes de desligar, explicando toda a situação da garrafa de água novamente. Eu digo a ela para não se preocupar — já aconteceu com todos nós — e espero que o dia dela fique menos ocupado.

“Acho que não ficará menos ocupado”, diz Elizabeth rindo. “Mas está tudo bem.”

Fonte: InStyle Magazine.

Tradução e adaptação: Elizabeth Olsen Brasil.

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas
23.10.2019

Em nova entrevista para o BuzzFeed, realizado na semana de divulgação da segunda temporada de Sorry For Your Loss, Elizabeth Olsen falou sobre sua experiência como produtora executiva da série, WandaVision e mais. Confira a matéria traduzida abaixo:

1 – Primeiro, qual foi a última série que você maratonou?

“Nós temos assistido a Família Soprano, mas tivemos que fazer uma pausa de mês porque estávamos tendo pesadelos. Foi muito estressante, mas acho que estou emocionalmente pronta para voltar a assistir. Eu só posso assistir dois episódios por vez. É pesado.”

2 – Qual emoji você mais usa?

“Aquele com dentes e sorriso 😬, porque sinto que estou cometendo um erro, mas sorrindo por causa disso. Tipo, eu não sei o que está acontecendo.

3 – Qual é a sua coisa favorita de cozinhar?

“A primeira coisa que me veio à mente é um prato de repolho. É repolho roxo com óleo de gergelim torrado, sementes de gergelim, cebolinhas e aminoácidos. É muito bom.”

4 – Qual foi o último livro que você leu?

“The Wind-Up Bird Chronicle do Haruki Murakami foi provavelmente o último livro que terminei de ler. No momento, estou ouvindo ‘Toda a Luz que Não Podemos Ver’. Meu Deus, eu amo esse livro! Eu estava em uma viagem e ouvir música ficou muito chato, então baixei o livro em áudio. É incrível.”

5 – Quem foi a última pessoa que você enviou mensagem?

“Minhas irmãs.”

6 – Qual é a sua história mais louca de fã?

“Não é tão louca, mas havia uma criança e ele sabia onde eu estava o tempo inteiro quando comecei a trabalha. Isso foi antes da Marvel. Em um certo ponto, ele se cansou de mim, mas ele estaria, tipo, no Live With Kelly e ele visitava os sets. Eu acho que toda a experiência no começo foi louca.

7 – Como tem sido interagir com os fãs da Marvel?

“Eles são ótimos. Adoro ir para convenções porque realmente entendo o que elas são agora. É um lugar lindo onde pessoas que não sentem que têm uma comunidade podem encontrar essa comunidade incrível. Fico um pouco nervosa quando alguns fãs estão tremendo e chorando quando me conhecem. Eu só quero que eles entendam, estamos bem e tudo está bem. Eu não sou tão especial. Apenas tento e conforto-os.”

8 – O que há na sua lista de desejos?

“Oh Deus, têm muita coisa. Tipo, morar em uma cidade pequena e abrir uma loja. Uma loja com flores e diferentes objetos artesanais, além de comida para o café da manhã e almoço. Uma vez por mês, haveria um jantar para o qual você poderia comprar um bilhete. Eu gosto de simplicidade e gosto muito de comunidades. A razão pela qual gosto de trabalhar em Atlanta é porque sinto que você consegue entender sua comunidade.”

9 – Qual é a única coisa que você não pode viver sem?

“Uma cozinha. Acabei de renovar minha casa, e colocar uma pia e duas lixeiras foi muito emocionante.”

10 – Melhor conselho que você já recebeu?

“‘Tente vencer sua última melhor pontuação.’ Dessa forma, você está constantemente competindo consigo mesmo e não com os outros. O auto-aperfeiçoamento é como uma competição para mim, eu mesma e euzinha.”

11 – Você assiste seus trabalhos anteriores?

“Não, não assisto. Sinto que estou sempre assistindo meu trabalho, especialmente com Sorry For Your Loss. Acho que me assisto muito agora com isso. Godzilla estava passando na TV recentemente e achei um pouco engraçado assisti-lo.”

12 – Você já viu outras pessoas assistindo aos seus filmes, como por exemplo, em aviões?

“É a minha coisa favorita! Eu amo esse sentimento porque não entendo o motivo das pessoas optarem por assistir a um filme em que estou. Terra Selvagem é um filme que muitas pessoas assistiam em aviões, e eu fiquei tão feliz. Eu nunca falo nada, mas fico tão orgulhosa. É uma coisa estranha em que você fica tipo, ‘Você está assistindo esse filme! Algo te interessou em um filme em que eu estou’. Eu sou sempre muito curiosa, se foi uma foto, o enredo — tipo, qual foi a coisa que fez alguém querer assistir?”

13 – Como você se envolveu originalmente em Sorry For Your Loss?

“Então, Kit [Steinkellner] escreveu um piloto — era algo que ela realmente sentiu que precisava escrever. O roteiro caiu na mesa da Robin Schwartz e ela pensou que eu talvez estivesse interessada em produzir a série. Então nós três e uma outra mulher, que acabou largando o projeto, projetamos tudo por toda a cidade e conseguimos. Foi tão legal fazer parte dessa série desde o começo. Originalmente, tínhamos um pedido de piloto e não deu certo no Showtime, depois mudamos para o Facebook e era algo completamente diferente. Tem sido uma grande experiência de aprendizado, como um processo de quatro anos.”

14 – Como é ser uma produtora executiva?

“Quando você é um ator, a produção é de quatro meses. Quando você é um produtor, é mais ou menos o dobro disso, porque inclui pré e pós-produção. Portanto, é realmente incrivelmente demorado. Fins de semana não são fins de semana; fins de semana são dias úteis e dias de preparação. É um trabalho constante e eu aprendi muito. Eu amei a atenção obsessiva necessária.”

15 – Uma das melhores coisas de Sorry For Your Loss é a dinâmica complexa entre Leigh, Jules e Amy. Como tem sido trabalhar com Kelly Marie Tran e Janet McTeer?

“Tem sido muito divertido. Eu acho que na segunda temporada nós caímos no ritmo. Kelly e eu temos um arco muito bonito como irmãs. Sinto fala delas. Segundas temporadas são divertidas. É tão confortável estar com elas agora, e por isso sinto mais liberdade como atriz. Eu acho que fiquei um pouco intimidada no começo porque ambas são mulheres muito confiantes. Eu realmente amo-as muito e acredito que a segunda temporada é uma ótima demonstração para todos e para a dinâmica familiar.”

16 – Qual foi uma das suas cenas favoritas de Sorry For Your Loss?

É na segunda temporada, episódio 3. A Janet faz um monólogo de seis páginas. Foi o melhor dia no set para mim. Não há nada mais agradável do que assistir alguém ser realmente bom no que faz. Então foi muito divertido.

17 – Na vida real, você se identifica mais com Leigh de Sorry for Your Loss ou Wanda Maximoff?

“As duas são garotas tristes. Acredito que ambas sejam poços de tristeza sem fundo, e eu me identifico com isso. Sinto que tenho um exterior borbulhante, mas adoro explorar a dor delas.”

18 – Para qual papel as pessoas ficariam surpresas por você fazer o teste?

“Eu acho que a primeira coisa que vem à mente é Daenerys Targaryen, porque esse tem sido um assunto em pauta recentemente. Eu esqueci que fiz o teste.”

19 – Você assistiu Game of Thrones? Gostou do final?

Eu sou obcecada por Game of Thrones e estou tão triste que acabou. Eu provavelmente era uma das poucas pessoas em que ficaram tipo, ‘Como pode acabar assim?’. Nós ficamos tão apegados a todas essas histórias e sempre houve 12 coisas acontecendo ao mesmo tempo, e eles tiveram que fazer uma história única no final. Acho que ficamos irritados com isso porque queríamos que fosse mais complicado, mas eles precisavam simplificá-lo. Acredito que seja uma série difícil. É uma coisa difícil de satisfazer.

20 – Você sentiu pressão semelhante para satisfazer os fãs com Vingadores: Ultimato?

“Não, acho que não. Eu sinto que entre o final de Guerra Infinita e Ultimato, nós estamos constantemente surpreendendo os fãs. Acho que estamos sempre tentando entender o que as pessoas querem quando estão no cinema. Eu também vejo isso de uma perspectiva totalmente diferente. Tudo o que vejo somos nós fazendo coisas para os fãs. É a única coisa que penso quando fazemos filmes da Marvel. Pessoas que não são fãs, não consigo imaginar como eles entenderiam. Fazemos um ótimo trabalho em processar as coisas desde muito cedo.”

21 – Você se lembra como foi o teste para interpretar Wanda Maximoff/Feiticeira Escarlate?

“Eu não fiz teste. Apenas tomei chá com Joss Whedon. Ele só disse, “Olhe para esta personagem e não pense nas roupas quando olhá-la, porque você não vai ficar assim.”

22 – Você era fã da Marvel antes de ser escalada?

“Eu era fã dos filmes da Marvel. Eu realmente amei os filmes do Homem de Ferro. Então isso foi legal para mim. Eu não leio histórias em quadrinhos, mas meu irmão sim. Então, eu estava ciente da importância dos quadrinhos. Eu realmente amo os filmes do Homem de Ferro. Eu acho eles tão bem feitos, inteligentes e engraçados. Eles são uma ótima combinação de entretenimento, humor e sinceridade.”

23 – Você tem tem uma lembrança favorita das filmagens de um dos filmes do Universo Cinematográfico da Marvel?

“Sim! Escócia. Filmamos toda a sequência de luta para Guerra Infinita quando estávamos em Edimburgo, na Escócia. As filmagens duraram a noite inteira. Eu me diverti muito trabalhando com a equipe de dublês. Echo que meu momento favorito foi a primeira vez que eles mostraram como é estar a 30 pés de altura no ar e depois te derrubar. Estávamos todos tão bravos que não filmamos porque eram apenas risadas incontroláveis. Foi um momento tão alegre.”

24 – Você faz muitas de suas próprias cenas de ação?

“Sim, eu tento fazer muito. Eu tenho a melhor dublê de todas. C.C [Ice]. Ela tem sido incrível. Tem uma cena no final de Guerra Infinita em que o Thanos empurra a Feiticeira Escarlate que foi feita por ela, e foi tão divertido assisti-la. C.C é simplesmente incrível quando você a vê fazer essas coisas. Tem sido incrível trabalhar com ela.”

25 – Uma das cenas mais faladas em Vingadores: Ultimato é a cena das super-heroínas reunidas. Como foi filmar aquela cena com todas elas?

“Foi incrível, mas tão tedioso de filmar. Foi uma cena muito específica. Tivemos que encontrar o ângulo perfeito para que o rosto de todas fosse visto. Sabíamos o quão importante era o momento e sentimos esse poder, mas consumia muito tempo. Tínhamos duas câmeras filmando ao mesmo tempo, porque era a única maneira de conseguirmos filmar. Tínhamos parte do corpo do Tom Holland, então tive que pousar corretamente pulando de uma caixa e, em seguida, Danai [Gurira] teve que ser filmada durante sua fala. A cena teve que crescer e se mover, e então tivemos que correr juntas perfeitamente.”

26 – Qual foi a sua primeira reação quando soube que Wanda e Visão teriam sua própria série do Disney+, WandaVision?

“Quando eu descobri [sobre o programa] Kevin Feige também explicou toda a trama. Eu apenas pensei que era a coisa mais inteligente do mundo. Estava tão feliz. Era tudo o que eu queria que eles fizessem conosco.”

27 – Como é o seu dia perfeito?

“Meu dia perfeito é acordar cedo, dar uma longa caminhada no meu bairro, ir a um mercado, particularmente aquele que finalmente descobri que não tem paparazzi. Então eu voltaria para casa, fazer o almoço, chamar alguns amigos, pular na piscina e depois o almoço se transforma em jantar e todos participam em comer, conversar e beber. Então, a noite terminaria com todos concordando em sair em um horário apropriado e ir dormir cedo.”

Fonte: BuzzFeed.

Tradução e adaptação: Elizabeth Olsen Brasil.

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas
13.10.2019

Elizabeth Olsen, que interpreta Wanda Maximoff, também conhecida como a Feiticeira Escarlate, no Universo Cinematográfico da Marvel, disse ao programa matinal AM to DM do BuzzFeed News que um filme focado nas super-heroínas da Marvel teria um “grande impacto.”

“Eu acredito que as pessoas realmente amam essas personagens”, disse ela. “Sinto que todos os homens nos filmes da Marvel fizeram um trabalho brilhante em satisfazer muito do que o nosso público quer, eles são engraçados e talentosos. E as mulheres também são. Dar à elas mais tempo em tela seria impactante, porque quadrinhos não são apenas para garotos que querem assistir garotos.”

Portanto, não será uma surpresa muito grande que Brie Larson, também conhecida como Capitã Marvel, tenha dito à Variety que a ideia de um filme com super-heroínas era “verdadeiramente discutida” nos níveis mais altos da Marvel.

“Muitas das integrantes do elenco da Marvel foram até Kevin [Feige] e nós falamos: ‘Estamos nisso juntas, queremos fazer isso’, explicou Larson. “O que isso significa, não faço ideia. Sabe, eu não sou responsável pelo futuro da Marvel, mas é algo pelo qual somos realmente apaixonadas e amamos, e sinto que, se pessoas suficientes no mundo falam sobre o quanto elas querem, talvez possa acontecer”.

Olsen disse que é importante que a Marvel faça filmes para atender à sua diversidade de base de fãs — o que inclui muitas mulheres:

“Especialmente quando você vai para convenções, você realmente vê isso”, disse a atriz.

Elizabeth, que atualmente está estrelando a série do Facebook Watch, Sorry For Your Loss, garantiu aos fãs da Marvel que também amarão WandaVision, que explorará ainda mais sua personagem.

“Eles provavelmente conhecem a Feiticeira Escarlate nos quadrinhos e todos os seus poderes, forças e medos. Eu acredito que WandaVision faz um belo trabalho para que nossos fãs realmente vejam como Wanda se torna a Feiticeira Escarlate,” disse ela. “Nós nunca a referimos como ‘a Feiticeira Escarlate‘ nos filmes. Ela sempre foi Wanda. E essa é a nossa oportunidade. Será muito empolgante.”

Olsen também compartilhou sua memória favorita da Marvel com o BuzzFeed News, lembrando de quando ela e os membros da equipe de dublês conseguiram “dominar Edimburgo” na Escócia, durante uma noite de filmagens de Guerra Infinita.

“Você está dominando uma cidade histórica e um centro de cidade a noite toda, e iluminamos as catedrais com nossa equipe [do diretor de fotografia]”, disse ela. “Você está fotografando algo e vendo uma parte de uma cidade com a qual nunca teria tido essa experiência. Eu fiquei tipo, por todo lado em Edimburgo, sendo levada para lá e para cá, suspensa por um fio, ou jogada em um colchão em uma parte diferente”, ela riu. “Foi tão emocionante. É uma verdadeira mágica do cinema o que todos são capazes de fazer nesses filmes”.

Assista a entrevista completa abaixo:

Fonte: BuzzFeed News.

Tradução e adaptação: Equipe Elizabeth Olsen Brasil.

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas
12.10.2019

Em um fim de semana, cerca de quatro anos atrás, Elizabeth Olsen se viu em uma posição invejável tendo uma pilha de roteiros para ler. Em pouco tempo de carreira — sem contar suas aparições quando criança ao lado de suas irmãs mais velhas, Mary-Kate e Ashley — ela já havia recebido elogios por sua performance em “Martha Marcy May Marlene” e ascendeu ao universo da Marvel como Wanda Maximoff, também conhecida como Feiticeira Escarlate.

Mas algo sobre o piloto de “Sorry For Your Loss“, e o papel de Leigh Shaw, uma jovem viúva de luto pela morte de seu marido, que caiu de um penhasco ou pulou, a cativou.

“Eu estava fazendo várias coisas que pareciam fora de mim, e eu realmente queria fazer parte de algo que fizesse eu me sentir em casa”, disse Olsen.

Sorry For Your Loss” rapidamente se transformou em uma queridinha dos críticos, com James Poniewozik do The New York Times, chamando-a de “pedra preciosa.” Segunda temporada, disponível no Facebook Watch, retoma seis meses após a morte de seu marido (Mamoudou Athie, ainda presente em flashbacks) enquanto Leigh segue em frente aos poucos: publicando postumamente a história em quadrinho de Matt, deixando de frequentar o grupo de luto para fazer sexo com o entregador de Postmates. Depois, há o fato desconcertante de que o irmão de seu marido (Jovan Adepo) se apaixonou por ela.

Talvez por conta dos problemas que suas irmãs tiveram com paparazzis, a vida de celebridade nunca foi um atrativa para Olsen, 30, que reflete sobre os filhos que espera ter com seu noivo, Robbie Arnett, da banda Milo Greene.

“Eu nunca quis ter uma certa quantidade de poder na indústria”, disse ela. “Eu realmente amo meu trabalho, estou feliz fazendo só isso e os trabalhos de caridade, vivendo uma vida mais privada possível.

O luto não é algo que a maioria de nós deseja enfrentar. Então, por que não conseguimos nos afastar de Leigh e sua história?

Eu acho que passar pelo luto, seja perdendo um de seus pais, cônjuge ou um melhor amigo, é uma experiência realmente isoladora. E sinto que tentamos ser o mais autênticos possível com a verdade. Também tentamos lidar com doenças mentais e vícios da mesma maneira. Para um programa como nosso, fazer as pessoas se não se sentirem sozinhas e se sentirem vistas é uma experiência especial. E o mais interessante no Facebook é que há uma comunidade integrada para as pessoas, se elas quiserem.

E agora você ganhou sua própria série da Marvel, “WandaVision“, no DisneyPlus, ao lado de Paul Bettany como Visão. O que você pode divulgar?

WandaVision” é um conceito tão incrível. É a primeira vez que poderemos conhecer Wanda como a Feiticeira Escarlate que ela é nos quadrinhos, e isso é emocionante para mim, porque ainda não tinha tido a oportunidade de dar à ela mais destaques na franquia dos Vingadores. Então vai ser divertido. Ela sempre representou saúde e doença mental nos quadrinhos, e seu papel principal é lidar com esse estigma na Marvel.

Eu tenho que admitir que sou um pouco analfabeta quando se trata da Marvel. Onde o Visão entra nisso tudo?

“Isso eu não posso responder, porque ele morreu no último filme. Sinto muito. Eu sei que você não se importaria. Eu conto aos meus amigos, mas não posso lhe dizer. Eles são como você — eles não sabem de nada, então eu conto tudo porque não faz diferença. Eu sei que não vai a lugar algum.

WandaVision” também está associado ao próximo filme do Doutor Estranho, no qual você estrelará com Benedict Cumberbatch. Você pode falar algo sobre?

Doutor Estranho“, eu não sei muito sobre o filme, porque ainda é meio cedo. E depois disso, eu adoraria fazer um filme independente de cinco ou seis semanas, com começo e fim.

“Quando você assina contrato com a Marvel, eles monitoram em que tipo de forma física você está?”

O que é surpreendente na Marvel é que eles nunca, como produtores, dizem algo a alguém para entrar em qualquer tipo de forma física. Eles não têm expectativas de que você seja magro ou forte. Eles assumem que, se você acha que o personagem precisa disso, então tudo bem. Não é algo que eles controlam em você. Eu literalmente perguntei [Kevin Feige, presidente da Marvel Studios], em uma época: “Então, quando posso ter filhos? Quando posso engravidar?” e ele respondeu, “Viva a sua vida e trabalharemos em torno dela.” Não acho que vá acontecer nos próximos cinco anos, mas é algo pelo qual estou realmente empolgada.

Em “Ingrid Goes West“, você interpretou uma influenciadora antes mesmo de isso se tornar algo. Você já sentiu como se tivesse pavimentado o caminho?

Sim, foi muito estranho — seis meses depois. Tudo estava acontecendo tão rápido. A coisa mais engraçada para meus amigos nesse filme foi que eu sou analfabeta quando se trata de redes sociais. Agora eu tenho um Instagram porque o vi como uma oportunidade de negócio, mas estou pronta para me livrar da conta quando for permitido no contrato [como embaixadora da Bobbi Brown]. Mas por enquanto está tudo bem.

Você tem seis milhões de seguidores no Instagram, mas não segue ninguém. Quem te influencia?

Eu estava seguindo designers de interiores e comecei a ver pessoas fazendo cerâmica de todo o mundo, foi incrível assistir seus vídeos e suas técnicas. Eu recebi muitas dicas boas e comecei a gostar muito, então deixei de seguir todo mundo, incluindo meus amigos. Eu pensei que, se eu deixasse de seguir as pessoas, teria que estar mais consciente do conteúdo que gostaria de receber.

Como é alternar entre filmes independentes e filmes da Marvel?

Eu amo trabalhar para a Marvel. Mas a parte do tempo exige que você não esteja disponível para certas coisas, e isso é de partir o coração. Eu acredito que o trabalho é emocionante à medida que envelheço. Eu nunca me senti como uma jovem de 20 anos nas telas e sempre me senti ansiosa para envelhecer. Mas quando se trata de uma trajetória de carreira, também admiro pessoas que viveram muitas vidas diferentes ao longo de sua existência, e eu quero fazer isso. Eu tenho muitas coisas que gostaria de fazer na minha vida. e não se baseia apenas na atuação.

Então, como seria sua próxima vida?

Eu adoraria cursar arquitetura. Eu amaria mudar de casa. Ser dona de uma loja. Morar em uma cidade pequena. É tudo baseado em pessoas que conheci, e, tipo, se você faz isso, eu também posso. Eu só quero criar uma vida o mais saudável possível, pensar sobre filhos e onde elas devem crescer. Eu amo pensar sobre isso tudo.

Fonte: The New York Times.

Tradução e adaptação: Equipe Elizabeth Olsen Brasil.