Seja bem-vindo ao Elizabeth Olsen Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Elizabeth Olsen, mais conhecida por sua atuação em Os Vingadores. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu abaixo e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!
últimos álbuns da galeria de fotos. confira!

Arquivo de 'Entrevistas'



postado por EOBR e categorizado como Aparições, Entrevistas, Eventos
28.04.2016

Na terça-feira (26/04) aconteceu a premiere europeia de Capitão América: Guerra Civil, em Londres. Confira as fotos e vídeos:

https://www.youtube.com/watch?v=CYx1yLtGntY

postado por EOBR e categorizado como Capitão América: Guerra Civil, Entrevistas, Vídeos
25.04.2016

Aconteceu hoje (25/04), em Londres, a conferência de imprensa de Capitão América: Guerra Civil. Confira as fotos e o vídeo abaixo:

Obs: O vídeo contém spoilers do filme.

postado por EOBR e categorizado como Entrevistas, Matérias, Photoshoot, Revistas
25.04.2016

Elizabeth Olsen concedeu novas fotos e entrevista para a revista Vantiy Fair Itália, na entrevista Elizabeth fala sobre sua carreira, sua família e mais! Confira abaixo as fotos e a entrevista traduzida pela nossa equipe:

(mais…)

14.04.2016

Em nova entrevista para a revista Total Film, Elizabeth fala sobre seu novo filme Capitão América: Guerra Civil, I Saw The Light e seus projetos futuros. Confira!

Para alguém que chegou em Londres com os olhos vermelhos de Nova York, Elizabeth Olsen é agradavelmente alegre. Apresentando-se como ‘Lizzie’, ela se levanta para cumprimentar a Total Film quando a encontramos em uma suíte no Hotel Soho em fevereiro, antes de relaxar para trás em um sofá vermelho, seu comportamento revelando sinais de sono. Ela está na cidade para falar de Capitão América: Guerra Civil, sua segunda aparição no universo cinematográfico da Marvel como Feiticeira Escarlate. Após o desastre de Sokovian no clímax Age of Ultron (que ceifou a vida de seu irmão veloz), ela é agora parte dos Avengers. “Ela está tentando assimilar tudo com uma cultura diferente”, explica Olsen. “Eu acho que ainda há uma luta interior do que tudo isso significa exatamente. Mas isso, eu acho, é um curso para descobrir o que vamos descobrir na terceira fase.”

Uma das vantagens de se juntar aos Vingadores – além de entrar em um filme de grande sucesso – é um traje novo, uma jaqueta de couro vermelha e espartilho. “O novo traje representa um traje mais funcional do que no fim do último filme, e eu, obviamente, não quero estar em um collant, por isso estou feliz com a nova aparência.” Deixando o traje do super-herói no set, hoje ela está usando um vestido preto sem mangas florido, com um envoltório de outono aconchegante, o comprimento de seu cabelo loiro está no ombro emoldurando seu impressionante olhos enormes, quase um anime . Aqueles olhos largos ainda mais quando ela fala sobre seu envolvimento com MCU,  “É ótimo.” ela sorri. “Na verdade, estou ainda mais animada para fazer o terceiro porque… É uma habilidade muito específica trabalhando nesses filmes, em que você não aprende a menos que você não esteja fazendo. E eu realmente me senti como um peixe fora d’ água para Ultron. Você está criando um sotaque que não existe no mundo. Mas eu sinto que continuo recebendo mais confiança com o personagem.”

Além da Guerra Civil, e as duas partes de Infinity War, evidentemente, ainda é mais emocionante. “Eu conversei com o Russos um pouco sobre qual é o plano para o próximo, e soa muito legal e emocionante. Mas ela ainda tem uma viagem interessante na Guerra Civil e pontapés no filme.”

Podemos estar chamando Olsen por seu nome de super-herói, embora; enquanto os fãs de quadrinhos conhece Wanda por seu apelido carmesim, ela nunca foi referida como Scarlet Witch em Age of Ultron. “Eu sei! Eu nem sequer percebi isso”, ela comenta. “Eu sinto que ele pode ser usado neste filme, mas eu não tenho certeza porque eu nunca percebi, então eu não faço idéia.” Mesmo que ela não use um Twitter, ela não pode conter sua alegria em um elemento relacionado a #ScarletWitch, um marketing para Guerra Civil. “Eu vi que todos tinham suas próprias hashtags e então eles tinham seuss próprios rostinhos de emojis. É a coisa mais legal que eu já vi!” ela ri. “Eu estava ‘Oh meu Deus, eu sou um emoji’.”

Uma semana após a Guerra Civil estrear, Olsen estrela em outro projeto que é um milhão de milhas de distância de superpoderes e emojis promocionais. I Saw The Light, uma cinebiografia da trágica estrela da música country Hank Williams, com um outro ator da Marvel, Tom Hiddleston. “Foi logo depois que eu tinha feito o meu primeiro filme pra Marvel, por isso foi interessante ouvir sua perspectiva de ser uma parte deste sistema por tanto tempo, e para mim ser  um novato”, explica ela. “Eles tinham diferentes perspectivas.” Chama Hiddleston – que ela foi romanticamente ligada fora das telas, mas nega uma relação – “Um ator fenomenal”, Olsen aponta que o elenco e a equipe de I Saw The Light“tornou-se uma verdadeira família criativa unida.” Atuando como Audrey Mae Williams, esposa de Hank e gerente, ela tinha muito material de origem para retirar, vasculhando os arquivos, incluindo fotos pessoais da família Williams e efeitos que são mantidos no armazenamento na Nashville Hall The Fame. Houve também amostras na rádio da manhã, criados no filme, que ela pudesse ouvir. Ele apresentou uma oportunidade para retratar uma pessoa real, que não é particularmente bem quisto nos anais da história. “As pessoas achavam que ela era muito difícil e exigente, que queria ser o centro das atenções”, diz ela. “Então, eu tentei pensar, OK, bem, isso pode ser verdade, mas também era o final de 1940. Ela foi casada com um alcoólatra e alguém que era viciado em analgésicos, que estava na estrada dormindo com outras mulheres o tempo todo. Então, eu tenho certeza que ela tinha uma razão de ser todas essas coisas. Então eu entrei nesse filme tentando defender seu legado, realmente, porque não há muitas pessoas que o fazem.”

A pesquisa contribuiu para um papel que era “super pessoal” para Olsen. “Eu acho que a melhor coisa sobre a observação de um filme é quando você começa a assistir alguém passar por algo que você está passando e você tem algo para se relacionar”, diz ela, mas mesmo com um papel pesado desse tipo, ela nunca fica pretensiosa sobre o ofício. Ela fala honestamente sobre a tentativa de equilibrar o lado de Audrey com a melhor forma de contar a história. E mesmo que seja um assunto sério, ela faz a preparação do som divertido, não menos importante, o sotaque sulista e, a voz que Audrey tem (Olsen, mais uma vez trabalhou com seu amigo íntimo, o treinador de dialeto Sarah Shepherd, que também a guiou em Age of Ultron). “Foi muito divertido preparar essa”, ela sorri. “E também tentar descobrir como não ser um grande cantor, mas tão ruim que faça Hank Williams parecer um idiota… Nós não poderíamos fazê-lo mais cômico!”

O próximo personagem é com outra estrela da Marvel – ela está estrelando como um agente federal com Jeremy Renner com o roterista de Sicario, a estréia na direção de Taylor Sheridan, Wind River. “Eu não sei o que está acontecendo”, ela ri. “Eu fico pensando sobre isso. Por que estou trabalhando apenas com os atores que estão no universo Marvel? O que é que isso significa?”. Ignorando essa aparente regra de apenas trabalhar com outros atores do MCU, parece que a abordagem que Olsen avalia os papéis é simples. Que estabelece o caráter, o que os outros atores vai trazer para o projeto, e que o diretor está cercado por fatores padrão. “Além disso, o encontro com o diretor e como sua personalidade é importante”, ela afirma. “Eu sou uma pessoa muito simples, então eu meio que preciso ser no set também.” Antes de Wind River, ela fez uma pausa de nove meses, durante o qual ela ficou entediada em casa e ficou desesperada para voltar a filmar. “Há coisas que eu queria trabalhar”, admite ela. “Eu realmente não quero trabalhar assim, de ser paciente, é horrível ser paciente, especialmente com um filme…”
A californiada de 27 anos começou de forma espetacular com seu primeiro papel adequado (além da breve aparição com suas irmãs mais velhas Mary-Kate e Ashley) no escaldante drama do Sundance Martha Marcy May Marlene, em 2011. “Eu realmente não aproveitei tanto, eu era nova. Esse foi o primeiro filme que eu já tinha feito. Eu tinha trabalhado durante seis meses. Eu não entendia nada sobre negócio ou carreiras. Eu apenas me senti como uma criança que teve a sorte de estar trabalhando. Então, eu não acho que eu fiz decisões estratégicas depois disso.”
Falando do momento, Olsen é, certamente, esta ligando para a frente agora. Antes de Ultron, ela marcou um blockbuster em Godzilla, mas mesmo isso não podia prepará-la para o rolo compressor da Marvel. “Godzilla para mim foi um equilíbrio de fazer um grande filme com um diretor realmente artístico e um elenco muito interessante, e eu [não] tive fazer muito com a tela verde”, lembra ela. “Mas, então, com a Marvel, é uma experiência totalmente nova. Fazer esses filmes é totalmente diferente. Há uma habilidade incrível para fazer e aprender. Eu amo o grupo com que trabalho.”
Fora da MCU, ela começou a desenvolver seus próprios projetos, incluindo uma série de TV que ela está esperando acontecer no próximo ano. Ela também está ansiosa para voltar no palco. Enquanto ela não vê a si mesma dirigindo. “Porque, como um ator, você está lá apenas para a parte do meio, e ter algum controle no meio e no final seria um luxo realmente incrível. Então, eu estou tentando descobrir isso um pouco mais agora que eu entendo melhor as coisas.”
Enquanto um filme da Marvel pode não permitir uma tonelada de improvisação ou a flexibilidade (“Eu realmente não posso fazer isso quando temos 12 super-heróis em uma sala tentando pegar sua sugestão”, ela brinca), isso deu algum tipo de, bem, poder. “Eu acho que me ajudou a ser capaz de financiar os trabalhos de forma independente, realmente significa muito.”
Com um grande lista de diretores para trabalhar incluindo Spike Jonze, Charlie Kaufman, Woody Allen e Quentin Tarantino, ela está esperando ter seu bolo para comer. “Há sempre um grande medo antes de assinar para um grande filme em que você é como, ‘Oh Deus, Spike Jonze estar interessado em mim agora?'”, Ela ri. “Se as pessoas querem trabalhar com você, eles querem trabalhar com você. E se não querem, não querem. É um monte de aceitação o que você não pode controlar.”
Como a nossa conversa chegando ao fim, ela exala a confiança tranquila de alguém que está muito no controle. “Neste momento, eu só estou tentando me divertir, realmente. Agora, eu estou realmente tentando ter um bom tempo pra caralho e me amar”, ela sorri. “Estou animado por estar de volta [em um set] e fazer algo, e agora eu não quero parar. Então agora eu estou apenas tentando se encaixar em tantas variedades quanto possível antes da Marvel me tirar mais nove meses novamente…”
Tradução pela equipe EOBR.
postado por EOBR e categorizado como Bastidores, Capitão América: Guerra Civil, Entrevistas, Vídeos
13.04.2016

Alguns jornalistas que estiveram no set de filmagens para entrevistar Elizabeth, compartilhou um vídeo da atriz falando sobre Capitão América: Guerra Civil. Confira abaixo o vídeo legendado:

http://www.youtube.com/watch?v=RGacnfrwoWc&sns=tw